PIB PenhaPrimeira Igreja Batista da Penha

História do Celebrando Restauração

Esse é um resumo da história dos Doze Passos e sua expansão mundo afora.

Alcoólicos Anônimos iniciou-se em 1935, em Akron, Ohio, com o encontro de Bill Wilson, um corretor da Bolsa de Valores de Nova Iorque, e o Dr. Bob, um cirurgião de Akron. Ambos haviam sido alcoólicos desenganados. Conforme escreve o próprio Bill Wilson, “os principais canais de inspiração para os 12 Passos, no que se refere à sua origem humana, foram em número de três: – os Grupos Oxford, o Dr. William D. Silkworth do Towns Hospital e o famoso psicologista William James, chamado por alguns de pai da psicologia moderna. A história de como esses canais de influência se encontraram e de como eles levaram a escrita e construção dos 12 Passos é excitante e em alguns aspectos inequívocos, inacreditável”. (B.Wilson)

GRUPOS OXFORD

Os Grupos Oxford faziam parte de um movimento evangélico que nasceu Em 1908, liderado por Frank Buchman, pastor luterano, fundador da “Igreja Church of the Good Shepherd”, no Estado da Philadelphia. Frank. Buchman teve algumas desavenças com o conselho da cidade, renunciou ao pastorado e partiu para a Europa. Participou da Convenção Religiosa em Keswick, Inglaterra. Sua transformação espiritual ocorreu quando ouviu uma conversa da esposa do orador sobre a cruz de Cristo. Sentiu o abismo que o separava de Jesus. Ao chegar em casa, escreveu para cada uma das seis pessoas com as quais havia se desentendido: “Meu caro amigo. Guardei rancor de você. Sinto muito. Você me perdoa? Sinceramente, Frank.”

Chegando à Universidade de Oxford (UK), começou a ter um forte desejo de compartilhar esta experiência, formando um grupo evangélico com líderes de estudante e atletas, daí o nome, GRUPOS OXFORD. Esses grupos floresceram na décadas de 20 e 30. Tinham como base o envolvimento pessoal de um companheiro com outro. Trabalhavam os valores: honestidade; pureza; despreendimento (desapego) e o amor absoluto (incondicional). A orientação de Deus era buscada para todos os aspectos da vida. Os Grupos Oxford, colocavam ênfase em seus princípios morais e espirituais mas tinham cuidado de não interferir nos pontos de vista de cada um sobre religião. Todas as correntes de pensamento religioso eram aceitas nos grupos.

Com o tempo esse movimento se espalhou, e novos grupos formaram-se na Inglaterra, Escócia, Holanda, Índia, África do Sul, China, Egito, Suíça, América do Norte e do Sul. Praticavam rendição absoluta, direção de suas vidas pelo Espírito Santo, compartilhavam experiências, companheirismo, mudança de vida, fé e oração. Apontavam para padrões absolutos de amor, pureza, honestidade, e eliminação do egoísmo. Estas práticas não eram novas, mas, para os primeiros alcoólicos que entraram em contato com os Grupos Oxford, isso foi de grande relevância.

ALCOÓLICOS ANÔNIMOS

Entre 1932 e 1933, Rowland Hazard, filho de um Senador e proprietário bem sucedido de um engenho na Ilha de Rhode, tornou-se alcoólico inveterado. Ele foi procurar ajuda com o mundialmente famoso psiquiatra Carl Jung. Jung falou que não havia nenhuma esperança para ele ali, que voltasse para casa e talvez encontrasse essa ajuda em algum grupo religioso. Foi o que ele fez. Ingressou em um Grupo Oxford nos Estados Unidos e começou a ficar sóbrio. Aprendeu e aplicou os princípios do grupo à sua vida.

Em 1934, Ebby Thatcher, amigo de infância de Bill Wilson, estava para ser preso como um bêbado crônico. Ele foi visitado por três homens de um Grupo Oxford; Shep Cornell, Rowland Hazard, e Cebra Graves. Eles posteriormente enviaram Rowland Hazard para ver Ebby. Rowland agiu como um padrinho, ensinando os preceitos que tinha aprendido no Grupo Oxford. Mais tarde, em dezembro desse mesmo ano, Ebby transmitiu esses preceitos para Bill Wilson.

Bill Wilson foi internado novamente no Hospital Charles B. Towns em Nova Iorque por causa do seu alcoolismo. Ele estava no “fundo do poço”. Foi aí que a ciência médica, na pessoa do doutor Silkworth, encaixou-se no conjunto. No hospital ele também recebeu a visita de Ebby que compartilhou a sua experiência – um alcoólico falando com outro. Ebby transmitiu a Bill Wilson os princípios espirituais e a graça que lhe trouxe um súbito despertar no hospital. Dessa experiência surgiu o desejo de alcançar outros alcoólicos, sendo lançada a semente para o nascimento do movimento dos Alcoólicos Anônimos (AA).

OS DOZE PASSOS

Ainda no hospital, Bill Wilson leu o livro de William James (Variedades de Experiências Religiosas), que serviu de inspiração para os 12 Passos. Nesse livro James dizia que experiências espirituais podiam conduzir pessoas à sanidade, de modo a transformar homens e mulheres a fazer, sentir e acreditar em coisas antes impossíveis para elas. Não importava se esse despertar espiritual fosse sutis ou gradual; sua variedade podia ser quase infinita.

O livro relatava diversas experiências de pessoas que tinham encontrado a derrota total, estavam completamente sem esperança, até apelarem a um Poder Superior Jesus. Dessas experiências e leituras nasceram os primeiros passos – reconhecimento da impotência diante do álcool, a necessidade de receber esperança através de um Poder Superior Jesus e a total rendição a esse Poder Superior Jesus. Naquele lugar e naquele momento, aconteceu a centelha daquilo que um dia viria a ser Alcoólicos Anônimos (AA).

Quando começaram a formar uma sociedade separada dos Grupos Oxford, formularam princípios tais como:

  1. Admitimos sermos impotentes perante o álcool.
  2. Passamos a ser honestos conosco mesmos.
  3. Passamos a ser honestos com outra pessoa, em confiança.
  4. Fizemos reparações por danos causados a outros.
  5. Trabalhamos com outros alcoólicos, sem visar prestígio ou dinheiro.
  6. Oramos a Deus, para que nos ajudasse a fazer estas coisas da melhor maneira que nos fosse possível.

Esses princípios foram usados por Bill Wilson para se tornarem os 12 Passos como os conhecemos hoje. Ele os escreveu, em uma noite onde estava muito desanimado e com muitas dores, numa bandeja de papelão. Mais tarde Bill disse: “Estas expressões, que nós hoje conhecemos tão bem, demonstraram serem salvadoras da vida de muitos alcoólicos. Não podíamos imaginar que nossos 12 Passos fossem tão rápida e universalmente aprovados por clérigos de todas as religiões e até por nossos futuros amigos, os psiquiatras. Esse pequeno fragmento de história deverá convencer até os mais céticos, que ninguém inventou Alcoólicos Anônimos. AA apenas cresceu – pela graça de Deus.”

Os Doze Passos se universalizar e se tornaram base de diversos Grupos de Ajuda Mútua ao redor do mundo, ajudando milhares de pessoas a vencer vícios, superar traumas e hábitos destrutivos. Exemplos: Narcóticos Anônimos (NA), Codependentes Anônimos (CODA), Comedores Compulsivos Anônimos (CCA), Jogadores Compulsivos Anônimos (JCA), entre tantos outros.

HISTÓRIA DO “CELEBRATE RECOVERY” - EUA

Celebrate Recovery foi fundado em agosto de 1990, por John Baker na Igreja de Saddleback (Los Angeles – EUA). John Baker lutava com o alcoolismo e começou a frequentar um grupo de AA. Não conseguia ficar livre do álcool e estava passando pela pior fase da vida, quando teve um encontro com Jesus, na Igreja de Saddleback. Aliado ao programa de 12 passos do AA, começou a ter vitória em seu processo de recuperação. Conforme narrado em seu TESTEMUNHO, ele frequentava o AA e sentia falta de falar de Jesus. Frequentava a igreja e sentia falta do apoio de pessoas que tinham as mesmas lutas que ele. Então, a partir de uma conversa com o Pr Rick Warren (Igreja de Saddleback) articulou os 12 Passos (que são de domínio público) com os princípios bíblicos das Bem-Aventuranças do Evangelho de Mateus. Dessa forma, foi criado o programa CELEBRATE RECOVERY.

HISTÓRIA DO CELEBRANDO RESTAURAÇÃO NO BRASIL

O Pastor Rick Warren, da Igreja de Saddleback (LA, CALIFORNIA), esteve no Brasil no início do ano de 2001 para uma Conferência no Rio de Janeiro. A priori esta Conferência seria transmitida via satélite para outras cidades no Brasil. A Igreja hospedeira da Conferência em Fortaleza seria a Igreja Batista Central (IBC). Houve o cancelamento da transmissão via satélite, e mesmo assim os americanos que acompanhariam a conferência em Fortaleza resolveram vir até a cidade, para visitar a IBC. Após seu retorno aos EUA, enviaram uma caixa com diversos recursos da Igreja de Saddleback, entre esses, a caixa do “CELEBRATE RECOVERY”. Foi dessa maneira que a Igreja Batista Central de Fortaleza (IBC) teve contato com esta ferramenta. Então, durante um ano, um grupo de quatro homens (Cameron Young, Dr Hélio Rufino, Luis Fernando Velasco e Nelson R. Massambani), passaram a traduzir, estudar e vivenciar o programa, usando as lições dos livretos dos Grupos de Passos.

Eles foram profundamente impactados com a vivência do programa e conversaram com o pastor titular da IBC, sobre a possibilidade de implantar esse programa na Igreja. Pastor Armando Bispo a princípio se mostrou resistente, mas após conhecer o CELEBRATE RECOVERY, em Saddleback, em agosto de 2002; decidiu que o programa fosse implantando na Igreja (IBC).

Em fevereiro de 2003, após a Editora Vida não se interessar pela tradução do material do CR, Cameron Young (da Igreja Batista Central de Fortaleza) assumiu a responsabilidade de coordenar a tradução do material e a implantação do CR na IBC. O nome escolhido para o programa em português foi CELEBRANDO RESTAURAÇÃO (com a autorização da liderança do CELEBRATE RECOVERY). Esse nome foi escolhido por melhor representar em português os valores do programa. Como diz Cameron Young: “Eu RECUPERO um quadro que foi roubado, mas eu RESTAURO um quadro que foi danificado pela ação do tempo, trazendo-o ao seu estado original, após um longo processo de muito trabalho e dedicação.”

Em 1º de maio de 2003, num dia de jejum e oração, o programa foi apresentado a toda igreja e voluntários foram desafiados a viver restauração em suas vidas antes do programa ser lançado publicamente. Entre maio e dezembro os voluntários aplicaram os valores da restauração às suas vidas e a série de oito pregações – “O Caminho da Restauração” (do Currículo do CELEBRATE RECOVERY) foi pregada para toda a igreja. Em janeiro de 2004 o programa do CR foi lançado publicamente todas as sextas feiras. Os primeiros Grupos de Apoio foram nas áreas de alcoolismo, drogadição, tabagismo, depressão e codependentes de familiares compulsivos. Desde então o programa na IBC cresceu e atualmente acontece em três dias da semana em locais diferentes da cidade. Em setembro de 2011 teve início o programa do CR Prisões, que é um braço do CR no sistema prisional e nos Centros Sócioeducativos (menores infratores). (Saiba mais sobre o Programa do CR na IBC e veja os endereços no site www.ibc.org.br/cr)

CELEBRANDO A RECUPERAÇÃO

A Primeira Igreja Batista (PIB) de São José dos Campos se tornou em 2004 representante da Igreja com Propósitos no Brasil (Igreja de Saddelback). Igreja onde teve início o CELEBRATE RECOVERY, e por isso assumiu a representação do CR a nível nacional, divulgando o programa especialmente no sudeste e sul do país através de treinamentos e conferências. Ao assumir oficialmente o programa a PIB de São José dos Campos, refez a produção do material e passou a chamá-lo de CELEBRANDO A RECUPERAÇÃO, numa tradução literal.

Hoje, o CR está espalhado Brasil afora. Algumas igrejas usam a terminologia CELEBRANDO A RECUPERAÇÃO, usando na íntegra o currículo e materiais produzidos pelo CELEBRATE RECOVERY (no Brasil, editado e distribuído pela SBB) e outras usam o termo CELEBRANDO RESTAURAÇÃO, usando esse material, produzido pela IBC. Ambos os programas dialogam e cooperam mutuamente para o crescimento do CR no Brasil, formando uma rede de parceiros.

PROGRAMA CELEBRANDO RESTAURAÇÃO

O Celebrando Restauração é um programa de Doze Passos, baseado na Bíblia, onde cremos que Jesus é nosso Poder Superior Jesus. Nosso objetivo é ajudar pessoas a vencer seus vícios, traumas emocionais, maus hábitos e comportamentos destrutivos.

O CELEBRANDO RESTAURAÇÃO é um programa constituído por três instâncias: Encontrão, Grupo de Apoio e Grupo de Passos.

Encontrão

Reunião aberta a qualquer pessoa que busca ajuda para enfrentar seus vícios, traumas emocionais, maus hábitos e comportamentos destrutivos. No Encontrão participamos de um momento com música e de estudo dos Doze Passos (e seus valores bíblicos) ou ouvimos depoimentos de pessoas que estão praticando os Passos. Após o Encontrão acontecem os Grupos de Apoio.

Grupo de Apoio

São grupos divididos por áreas de dificuldades, liderados por pessoas que estão vivendo em vitória na área abordada pelo grupo (treinados pelo CR), destinado à partilha das lutas e vitórias, encorajamento e apoio mútuo. As partilhas são protegidas pelas regras que norteiam o programa. No Grupo de Apoio vivenciamos esta verdade: “Nossa doença sai pela boca e o tratamento entra pelos ouvidos”.

Grupo de Passos

São grupos destinados a pessoas que desejam aprofundar seu processo de restauração. Esses grupos seguem um currículo com duração média de nove meses (reuniões semanais com duração de duas horas), também baseados nos Doze Passos e seus valores bíblicos, que requer dos participantes um compromisso com preenchimento de lições e a realização de um inventário moral. Os Grupos de Passos tem em média 15 pessoas do mesmo sexo para em seu início. Cada grupo tem um facilitador treinado pelo CR. Para participar é necessário inscrever-se previamente. Os Grupos de Passos acontecem em dias diferentes do Encontrão e dos Grupos de Apoio.

Quais são as razões para participarmos do Programa do CR?

  • Compartilhar nossos problemas – ao compartilhar nossos problemas, nos abrimos para uma nova maneira de ver as coisas.
  • Viver na prática os mandamentos recíprocos (uns aos outros) – Ao caminharmos juntos, percebemos que não estamos sozinhos.
  • Chorar com os que choram – Não estamos aqui para “resolver” nossas questões, mas para trazer uma nova perspectiva e crescimento para todos, inclusive para nós mesmos.
  • Buscar restauração:
    • Aprender a lidar com os problemas do passado
    • Receber força e graça para sobreviver no presente
    • Construir um alicerce saudável para o futuro